Breve História

Empresa do Grupo Vranken Pommery Monopole desde 1999, a Rozès tem uma história secular ligada ao Douro. Primeiro grupo exportador de Vinho do Porto a instalar-se na Região Demarcada do Douro, a Rozès tem solidificado a sua presença nos mercados nacionais e internacionais, impondo os seus vinhos com mestria, de onde se realça o íntegro controlo das diversas fases da vitivinicultura, no Douro, desde a plantação das vinhas, ao envelhecimento e engarrafamento dos vinhos.

Fundada em Bordéus em 1855, por Ostende Rozès, um negociante de vinhos finos daquela cidade, a Rozès começou por importar e comercializar Vinho do Porto.

Na geração seguinte, o filho do fundador, Edmond Rozès, foi o grande impulsionador no desenvolvimento e reputação da empresa e dos seus vinhos do Porto. Por volta dos anos 30, Edmond criou a marca "Porto Rozès", escolhendo ao mesmo tempo uma forma de garrafa que permitisse identificar simultaneamente a marca e o vinho do Porto: assim surgiu uma garrafa revestida "à antiga portuguesa", com o gargalo envolto em papel sulfuroso e uma rolha selada com cera.

Desta forma, os vinhos do Porto assumiram uma identidade tão característica e carismática, e conquistaram rapidamente o estatuto de vinhos de qualidade.

Após mais de cem anos e quatro gerações depois, em 1977, a Casa Rozès deixa de pertencer à família que lhe deu o nome.

Actualmente, a marca Rozès exporta para mais de 40 países em todo o mundo, tendo como principais mercados, a França, a Bélgica, a Alemanha e a Escandinávia. É a única marca de Vinho do Porto a deter duas gamas completamente distintas: a tradição representada pela marca Rozès Classic Ports e a inovação representada pela marca Rozès Colors Collection.

A Rozès comercializa em Portugal todos os vinhos do Grupo Vranken Pommery Monopole, nomeadamente os seus Champagnes, tendo vindo a adquirir notoriedade, fruto da qualidade e inovação nos seus vinhos e respectivo packaging.